22 de novembro de 2013

Refém da Obsessão de Alma Katsu

 

 

Havia uma parte em Lanny que queria ser punida. Um pedaço de seu coração que acreditava que ela merecia o horror de ser imortal, a tristeza de ver todos aqueles que amara partirem, enquanto ela só podia conviver com as perdas e as lembranças. Terríveis e solitárias lembranças. Este “dom”, oferecido pelo mais malvado dos homens, Adair, era, para ela, a resposta a uma pena que ela deveria cumprir.

Mas, apesar das culpas e do castigo que pensava merecer, ela ainda sonhava. E esperava ser redimida por ter dado a Jonathan — seu grande amor — o esquecimento que purifica todo ser de sua dor: a morte.

No entanto, bem no fundo de sua alma, ela suspeitava que, fosse o que fosse que a atraísse para Adair (e para sua maldade), fosse qual fosse o infeliz sentimento que os aproximara, este sentimento não fora totalmente exorcizado.

Não importava que ela tivesse chegado ao cúmulo de emparedar aquele homem mau e deixá-lo para apodrecer, não importava que o tempo tivesse passado, nem que, hoje, ela pudesse contar com o apoio e os braços fortes e acolhedores de Luke... Adair estava por perto, ela podia senti-lo, e seu poder era inexorável.

“Este é o segundo livro da trilogia de Alma Katsu, que começou com o bem recebido Ladrão de Almas. Esta sequência mantém-se fiel ao primeiro título da autora...” --Publishers Weekly

The Taker Trilogy # 2

 

Essa trilogia está sendo uma grata surpresa! Os dois livros prenderam muito a minha atenção e me fizeram passar por sentimentos e sensações muito intensas e contraditórias, como os personagens!

Adair finalmente conseguiu sair de sua prisão. Duzentos anos se passaram e ele se vê num mundo totalmente diferente no que viveu e descobre que tudo o que sempre teve e acumulou durantes os longos anos de sua existência está perdido para ele. Um homem tendo de reaprender a viver no mundo é algo tão incrível que  a gente quase se esquece do homem cruel e inteligente que conhecemos no primeiro livro... Quase, porque convenhamos, estamos falando de Adair...

Óbvio que Lanore sente o minuto em que Adair fica livre. E assim começa um jogo de gato e rato onde um busca uma forma de prejudicar o outro! Adair quer encontrar Lanore, enquanto Lanore quer se esconder de Adair. Com bons motivos, claro!

Adair me conquistou completamente! Confesso que estou até meio apaixonada por ele, pois ele é um personagem super complexo: cruel, impaciente, vilão, mas ao mesmo tempo ele é sensível, apaixonado, meio perdido... Nada é certo com Adair visto que as ações dele são completamente imprevisíveis!

Acho que a autora foi feliz no modo em que resolveu trazer a narração: terceira pessoa para Adair, primeira pessoa para Lanore. Assim, nós leitores tivemos um melhor entendimento de Adair, um entendimento que Lanore não possui e isso faz com que a nossa compreensão e compaixão e, por que não, medo vá aumentando no decorrer da trama. O suspense e a ação vão num crescendo que prende a atenção completamente e o final já nos deixa ansiosos pelo próximo volume, que ainda nem foi lançado – vai sair nos EUA em Janeiro/2014. Espero que Novo Conceito não demore com a tradução!

Uma trilogia simplesmente imperdível!

1 comentários:

jane cristina aquino disse...

Li os dois livros, achei simplesmente maravilhosos, alias a autora é maravilhosa, o contexto, a historia, os personagens carismáticos, não deixa nada a deseja no meu ponto de entendimento. Só lamento que tenha que esperar tanto tempo para o próximo, estou aguardando quase seis meses.