2 de abril de 2013

A Pousada Rose Harbor de Debbie Macomber

Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada.


Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se deram bem e Joshua tem pouca esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma antiga conhecida de Joshua dos tempos de escola prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera.


A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.

Rose Harbor # 1

Simplesmente lindo! Esse é daqueles tipos de livro que levam a gente em uma viagem maravilhosa nos sentimentos e descobertas dos personagens e nos fazem ficar íntimos deles.

A história começa com Jo Marie Rose se encantando e comprando a pousada que será seu lar e já ficamos comovidos com a história dela. Uma mulher que sofreu uma perda terrível e resolve recomeçar a vida em uma nova cidade. Adorei a coragem de Jo Marie e me encantei com a personagem e sua força! E é na pousada que conhecemos Abby e Josh e vamos nos inteirando de suas vidas e problemas.

Josh está na cidade para visitar seu padrasto, Richard,  que está muito doente e à beira da morte.  Os  dois nunca foram próximos e há muita dor e mágoa e ressentimento entre eles. Richard tem em Michelle, uma assistente social e vizinha de longa data da família, sua única amiga e cuidadora. E é Michelle, que foi amiga de Josh e seu meio irmão Dyllan na escola, que tenta fazer a reunião entre enteado e padrasto. O clima é bem tenso e vamos descobrindo que realmente vai ser difícil esses dois se perdoarem, pois o passado não foi formado por boas lembranças, muito pelo contrário. Richard é um homem duro e teimoso e tem em Josh sua contraparte perfeita, fazendo com que o diálogo seja inexistente e as agressões verbais uma constante.

Michelle faz o possível para aparar as arestas entre os dois homens e vai mostrando que um precisa perdoar o outro e precisa entender o outro para que essa reunião seja produtiva. Josh deseja reaver algumas lembranças de sua mãe e encontra a teimosia do padrasto em entregá-las. Só com o carinho e compreensão de Michelle é que  Josh vai sentindo que tem forças para aturar Richard e começa a perceber que o perdão é algo que pode mesmo aliviá-lo.

É muito interessante observar como a dinâmica entre Josh e Richard vai mudando e como um vai começando a compreender o outro! É lindo também observar como Josh vai se encantando com Michelle, uma menina que ele conhecia e por quem  tinha amizade, mas que nunca imaginara se interessar.

Já Abby, a outra hóspede, precisa enfrentar fantasmas que a assombram há 15 anos, desde a morte de sua melhor amiga. Desde aquela fatídica data, Abby se isolou de tal forma que se afastou de tudo e todos e, agora que precisou voltar a Cedar Cove para o casamento do irmão, ela se vê obrigada a encarar esse passado e a pensar em seu futuro. Contando com a presença da família e reencontrando suas antigas amigas de escola, Abby começa a se questionar e a pensar se não está na hora de se perdoar e tentar encontrar seu caminho de volta à vida. E acompanhar essa jornada e descobrir os traumas e problemas de Abby é absolutamente comovente...

E, juntamente com a história dos hóspedes, vamos vendo Jo Marie se integrando na sociedade e fazendo novas amizades e construindo seu novo negócio e nova vida. Um personagem que me encantou foi Mark, o faz tudo, e estou muito curiosa para ver se Debbie vai trazer mais dele no próximo livro. Outra coisa que adorei foi a forma como a autora organizou a narração do livro: quando era Jo Marie a narração era em primeira pessoa; nos demais em terceira. Achei que essa narração em primeira pessoa nos aproximou muito de Jo Marie, pois fomos enxergando a história por seus olhos.

Se quiser ler o primeiro capítulo, clique aqui e se delicie com a história.

1 comentários:

Lili disse...

Oi Rê, adorei sua resenha e tinha muita curiosidade para saber mais a respeito desse livro que tá na pilha já me esperando rs

Obrigada pela resenha muito bem feita! Adorei sua opinião!

bjssss
Lili