4 de julho de 2010

Aventurando-me em uma nova seara…

Essa semana resolvi ler um novo gênero de romance. Um gênero que tenho ouvido falar muito bem em grupos e foruns de discussão e que nunca tinha procurado antes: Romance Gay (m/m).

Comecei com My Lupine Lover de Stormy Glenn. O que me levou a, finalmente, ler esse tipo de romance foi o book trailler que achei fantástico e me fez ficar curiosa:


O trailer é bem o resumo do livro: Sasha está, juntamente com sua alfa, hospedado na casa de Vadim. Uma noite, quando está fugindo da violência do alfa e seus betas, Sasha entra num escritório onde Vadim está trabalhando. Eles imediatamente se reconhecem como “mates” (parceiros destinados um ao outro pelo destino) e, juntos, enganam o bandidão e já começam um relacionamento.

Sasha é um lobo Omega – aquele que traz paz e tranquilidade para a alcatéia. Mas de onde ele vem, Sasha é tratado como um brinquedo sexual dos governantes e é isolado do convivio com seus pares e ameaçado constantemente com o sofrimento alheio caso não obedeça a todas as ordens e solicitações. Vadim fica profundamente chocado e enfurecido ao saber como seu companheiro era tratado e promete que nunca mais ninguém irá machucá-lo.

Gostei da história pois trouxe muitos esclarecimentos de como é a administração de uma alcatéia e os desafios e direitos e deveres do alfa e de seus membros (coisa que outros livros raramente tratam). Mas achei que Sasha foi muito “feminilizado” pela autora. Tinha horas que eu não me lembrava que era um romance m/m, pois o comportamento e descrição de Sasha me lembravam mais o de uma mulher. No geral, entretando, a leitura foi muito proveitosa e prazerosa.

Ainda essa semana recebi um e-mail num grupo avisando que o livro Out of Bounds: Love of Sports 1 estava de graça no Kindle da Amazon. [Eu baixei o Kindle for PC (um dia ainda me aventuro a comprar um Kindle… o preço está começando a baixar, quem sabe…)]. Fui então pesquisar e gostei do resumo! Me lembrou um episódio do Law & Order SVU (sem o assassinato, claro) e minha curiosidade foi novamente despertada.

O jogador profissional de basquete Kasey Johnson decidiu manter sua opção sexual bem guardada e longe do público. Solitário, alguns casos amorosos fora da temporada é tudo o que ele espera até se aposentar. Ele crê que seu segredo está bem seguro… até conhecer Ingram Fletcher, o proprietário de um nightclub que faz queimar um inferno de desejo em seu corpo.

Gram vem desejando Kasey desde que o alto jogador de basquete chegou a Phoenix um anos atrás. Mas com a interferência do irmão gêmeo de Kasey, até o momento Gram não estava seguro em avançar o sinal. Então, um contato casual no clube lotado leva a um beijo que faz Gram começar a imaginar se um relacionamento entre eles é possível…agora e depois da temporada.

Um romântico final de semana juntos responde a essa questão. Agora a única pergunta em aberto é se Kasey está pronto a sair rapidamente de sua zona de conforto.

Esse livro é muito bom! O relacionamento homoerótico entre Kasey e Gram é muito bem construído e nos faz realmente torcer para tudo dar certo entre eles.

A carreira de Kasey no basquete profissional está deslanchando! Ele é um novo astro e ainda tem muito o que conquistar. Mas uma nuvem paira em seu horizonte: ele é gay! Seu irmão gêmeo, Garret, um famoso astro de Hollywood também é gay – e tornou sua opção sexual pública. Mas um astro de Hollywood e um astro do esporte têm fãs muito diferentes – e também diferentes são os profissionais que trabalham com cada um! Kasey sabe que os preconceitos e dificuldades que enfrentará se sair do armário vão ser muito maiores do que os que Garret enfrentou. E o perigo de ser agredido e isolado muito maiores. (E aqui entra o episódio de Law & Order que mencionei acima: no filme, ao tornar-se público que um famoso jogador de Football era gay, ele chegou a ser agredido nas ruas pelos fãs e a ver sua carreira afundar…)

Mas nada disso conta quando Kasey se envolve com Gram! A atração que sentem um pelo outro se transforma em amor e o relacionamento deles começa a se tornar muito mais intenso e lindo do que ambos estavam esperando.

O que mais gostei é que não houve feminilização de nenhum personagem nesse livro. Os dois eram muito masculinos e o amor deles muito bonito de se ver. O dilema maior era se Kasey estava ou não disposto e preparado a arriscar sua carreira e patrocínios para viver e escrever sua história ao lado de Gram – e foi muito interessante e envolvente acompanhar a trajetória desses dois!

Acho muito importante estarmos abertos para novos universos literários e gostei desses dois romances que li. E sei que, se aparecer mais algum livro cujo resumo me atrair, com certeza vou ler!

18 comentários:

La Sorcière disse...

Oi Rê!
Nunca pensei em ler um livro assim, aliás, vou ser bem honesta: nem sabia que tinha!!!
Mas sua resenha me deixou curiosa ;)
Bj
Alê

Regina disse...

Oi Alê!

Pois é... tenho ouvido falar em romances gays já tem algum tempo - desde que J.R.Ward admitiu ter criado um personagem gay na série das Adagas Negras - mas nunca tinha lido nada assim antes!

Achei a experiência bem válida e prazerosa! Mas acho que ainda demora a sair por aqui,pois mesmo nos EUA são poucas as escritoras e editoras que se arriscam nesse gênero...

bjs

Nana * E.R disse...

Olá!

Querida deixa eu ti fazer uma perguntinha, por onde vc compra os seus livros estrangeiros? Porque na Livraria Cultura os que encomendo saem uma fortuna >.<

Minha mãe está quase vendendo os meus livros para pagar as dividas que estou deixando no cartão de crédito, rs...

Beijão :)

Regina disse...

Oi Nana

Os livros importados eu compro na Livraria Cultura - o frete fica bem mais baixo do que comprar no Amazon.com.

Agora os e-books eu compro no Amazon Kindle (dou preferência qdo é de graça, se bem que tem uma taxa de US$ 2,00 de transferência 3G) ou no All Romance (http://www.allromance.com/).

Meu cartão de crédito também fica feliz com meus gastos - só eu que sofro para pagar... rsrrsrsrs

bjs

Anônimo disse...

Oi Regina,
qdo vc colocou a descrição essa:gay (m-m),eu pensei que "m-m" era mulher-com -mulher,rsrsrsrsr.

Já li vários desse gênero,mas cansei.
Não tem nada melhor que um bom romance hetero com um lobo alfa TDB e uma mocinha decidida.
Esses não canso nunca.

Bjs,Milla

Regina disse...

Oi Milla!

Eu usei a descrição em inglês (male/male). Não tenho a menor vontade de ler f/f rsrsrsrs. Nem os de menage com duas mulheres me atraíram...

Adoro um lobo alfa e uma mocinha decidida também (como os da Lucy Monroe e outras autoras), mas resolvi ver o que tanto se fala desses romances gays - e o resumo até me atraiu - e gostei do que li! Não sei se vai virar uma leitura habitual, vamos ver...

bjs

karyne disse...

Oi Re.........que resenha convidativa flor, mas essa deixo passar.kkkkkkkk]sou preconceituosa e não sinto prazer nesse tipo de leitura.kkkkkkkk
ficar lendo e imaginando homem de quantro com outro ai sai fora.kkk
mas obrigada pela resenha, vc quase me convenceu
bjs
ka.

Anônimo disse...

Olá ,Regina!
Vc sabe me dizer se tem esses dois romances traduzidos disponivel pra down na net?
Bjs,Sayanne

Regina disse...

Sayanne,

Não sei dizer se já tem traduzido... Tem um grupo que está traduzindo e revisando vários livros dessa temática, mas esses eu não vi ainda.

bjs

Anônimo disse...

ai gente mesmo nesse século ainda dá pra ser preconceituosa com algumas coisas, tipo livro assim... acho uma baixaria, até ontem eu seguia suas leituras agora sei que terei que filtrar, numa boa, gosto é gosto e eu nao gosto... odiei ler essa resenha

Regina disse...

Oi Ka,

Bom te ver por aqui!
Adorei ouvir sua opinião, pois nossos gostos sempre batem, não?

Achei interessante a leitura, mas claro que ainda prefiro nossos vampiros e lobos alfas males!

bjs

Regina disse...

Olá, Anonimo!

Uma das coisas que mais me fascinam em literatura é a possibilidade de podermos discutir diferentes pontos de vista! Nem sempre um livro provoca as mesmas emoções em duas pessoas - e acho isso sensacional!

Acho que preconceitos exitem mesmo - e quem disser que não tem nenhum, mente! Gostei de saber sua opinião.

bjs

Anônimo disse...

No meu caso prefiro não ver como preconceito.Prefiro ver como conhecer a verdade que DEUS nos ensina e que esse tipo de relacionamento não é o certo.
Deus fez o Homem e viu que o Homem precisava de uma companheira - fez a mulher.Devemos passar o que é certo,ainda mais nesse mundo que as pessoas estão perdendo valores,crianças sendo abusadas,sendo corrompidas,casamentos perdendo o verdadeiro significado.
Esse tipo de leitura considero porcaria,lixo - não recomendo!
Concordo com a colega - ler homem de quatro com outro homem - não rola.
Não tem nada mais lindo que um casal Homem e Mulher juntos,apaixonados - é tão lindo!
Regina,te admiro muito e sou tua fã,não perco tuas resenhas,você tem um lugar com uma grande importância na internet.
Jovens,adolescentes seguem você e ditam o que você indica aqui.
Te peço;rsrsrs,não siga essa linha de leitura.Please!

Obrigada pelo espaço!

Beijão,A.

Dyllan disse...

Oi Rê!

Muito bom saber que você está pairando em novos horizontes. Mudar é sempre bom, sair da mesmice.
Adorei as duas resenhas. O Out of Bonds me chamou muito a atenção, e eu sou suspeita pra falar de livro homo. Leio a maioria.

Já o My Lupine Lover, pelo que você disse, tem uma história boa, mas não acho legal a feminilização demais em algum dos personagens. Afinal, eles ainda são homens não?

Parabéns pela coragem de se aventurar pelos mares intrépidos dos romances homo-erótico, e espero ver mais.

Bjoss
Shellan do Rei

Anônimo disse...

Nossa,passei uns dias longe e qdo volto ...surpresa!Novidades polêmicas!
Que post que deu o que falar hein,Regina?!
Bom,eu respeito quem gosta,quem prefere,quem indica,mais eu não gosto,não vejo graça nesse tipo de romance.E cconcordo com a colega que falou que é uma porcaria.
É isso mesmo!Não tem cois amais linda que um casal hetero se amando e sendo feliz!
Bjs,Diana

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

HH não li e acho bem estranho sabe?

Não sou preconceituosa, tenho vários amigos gays mas não me sinto confortável nessa leitura.

Mas sempre é tempo pra mudar né?

Por isso tá decidido que o primeiro que vou ler nesse segmento vai ser o da JR...kkkkk

Parabéns pelas excelentes descobertas e por nos manter sempre bem informadas do que está bombando por ai.

Bjos,

Hugo disse...

Amei a dica, e T.A. Chace é um otimo escritor. Ele consegue descrever todas as cenas e a historia com muita riqueza de detalhes. :)

Acho que cada um ler o que quer, eu adoro esse tipo de romance. Todo tipo de romances na verdade.

Acho que as vezes o preconceito está tão infiltrado na mente de algumas pessoas que elas acabam nem vendo como preconceito, mas é sim, é preconceito e você tem que procurar compreender e respeitar o amor e a vida dos outros. E acho isso horrivel e triste.

Tenho amigos gays, tenho amigos evangelicos, tenho amigos catolicos, tenho amigos de todas as raças, tribos e religiões literalmente. E TODOS eles se dão super bem, sem nenhum tipo de preconceito.

Acho que o preconceito vem muito da cabeça de cada um, seria bom se um dia esse preconceito acabasse e a população percebesse que o que realmente importa é o amor, em suas diferentes milhares de formas. Afinal Deus não é isso? Amor? Se ele fosse procriação seria Deus dos coelhos e não dos homens (okay talvez poderia ter passado sem essa)

Alguém citou coisa como abuso infantil e coisas do tipo, não são os gays que abusam das pessoas, são pessoas que abusam de inocentes doentes. E muitos desses abusadores são pessoas que essa "nação preconceituosa" afirma serem de otima moral e indole. São padres, pastores ou qualquer pessoa outro tipo de pessoa. Quer uma dica de filmes assista Precious, ou Preciosa em português.

SER GAY NÃO É SER RUIM OU MAL. SER GAY É MOSTRAR AMOR E RESPEITO.

BjooS e AMEI a Dica

Ps: antes que criem comentários sobre minha opção sexual, só uma coisa, não sou gay, mas não teria problemas nenhum em ser. Na verdade se eu fosse minha vida seria mais simples, rsrs


TODAS AS FORMAS DE AMOR SÃO VALIDAS :)

Regina disse...

Oi Hugo!

Obrigada pelo comentário!

Concordo com vc que devemos sempre ter a mente aberta para os livros - podemos depois concordar ou não com o autor, gostar ou não da história - mas antes devemos ler para formar nossa opinião!

bjs