18 de junho de 2012

Fifty Shades of Grey de E L James

Quando a estudante de literatura Anastasia Steele entrevista o bem sucedido empresário Christian Grey, ela o considera muito atraente e profundamente intimidador. Convencida de que o encontro de dois saiu terrivelmente errado, ela tenta tirá-lo de sua mente – até que ele aparece na loja onde ela trabalha meio período e a convida para sair.

Altruísta e inocente,  Ana fica chocada ao ver que quer esse homem. E, quando ela a avisa para manter-se distante, apenas o faz quer0-lo mais.

Mas Grey é atormentado por demônios internos, e consumido pelo desejo de controlar. Enquanto eles embarcam em um caso de amor passional, Ana descobre mais sobre seus próprios desejos, bem como os desejos obscuros que Grey mantem escondido longe do olhar público...

The Fifty Shades Trilogy # 1

Esse livro é o assunto do momento nos EUA – e está chegando ao Brasil! Fifty Shades está em primeiro lugar em vendas nos Estados Unidos já há algum tempo e foi tema de muitas reportagens – algumas até muito pejorativas ao gênero romance e às mulheres que o leem (como se só mulher lesse romances...) – e vem movimentando não apenas o mercado editorial, mas toda uma discussão sobre o tema BDSM e romance erótico.

O livro, que originalmente começou como uma fanfic sobre a saga Crepúsculo, traz a história de Anastasia e Christian e o modo como eles se conhecem e vão se envolvendo. O relacionamento dos dois não é fácil, pois Christian tem desejos muito diferentes de outros homens e Ana é uma menina inocente (e por inocente leia-se virgem)  e já cai em um mundo totalmente desconhecido e assustador. Mas mesmo essa diferença não é capaz de afastá-los e ele se veem cada vez mais atraídos um pelo outro.

Sinceramente não vi muita semelhança entre Edward e Bella e Christian e Ana (se bem que só li um livro na saga Crepúsculo, e foi o primeiro), a não ser o fato de que achei a Anastasia (bem no comecinho da história) tão sem sal quanto a atriz que interpreta Bella no cinema. Eu tinha lido em um grupo de que faço parte de que estavam cogitando que essa atriz – Kristen Stewart (?) – para o papel de Ana no cinema e isso me prejudicou – e muito – a leitura, pois só conseguia imaginar a personagem com aquela cara de boba sem expressão! E olha, demorou até eu conseguir tirar essa imagem da cabeça e começar a perceber outros aspectos de Ana e deslanchar na leitura.

O livro é bem interessante, mas quem, como eu, já leu Shayla Black e Maya Banks não vai achar algo assim tão "pesado" no lado do BDSM e cenas hots. Claro que quem estiver começando a ler esse assunto pode se assustar um pouco, principalmente ao se aprofundar no relacionamento Dominação/submissão e a noção de recompensa/castigo. Mas a  história tem uma "pegada" bem legal e traz um humor bem gostoso – Ana vive descrevendo as cenas em sua cabeça e divide as sensações entre sua "Inner Goddess" e seu subconsciente e as descrições são super bem articuladas e consistente com o que ela está sentindo no momento. Fora que a "deusa interior" é um dos personagens que me agradou muitíssimo. Ela é uma verdadeira figura! Eu gostei muito dessa conversa interior e achei uma forma muito criativa de mostrar os sentimentos da personagem.

Christian é um herói que demorou a me conquistar. Ele já avançou muito em meu conceito e creio que no decorrer da trilogia vou acabar completamente apaixonada por ele! Por enquanto, estou torcendo muito para ele superar algumas dificuldades e se abrir mais com Ana. Acho que o fato de o livro ser narrado por Anastasia prejudica um pouco a compreensão completa de Christian. Eu senti muita falta em saber o que ele realmente pensa e sente e não ter somente as impressões de Ana nesse assunto. Ao mesmo tempo, esse tipo de narração vai nos aproximando de Ana e mantendo o mistério que é Grey e, como ela, queremos mais e mais informações do discreto e misterioso empresário.

Ana me irritou um tantinho. Ela é muito insegura e eu tinha a impressão que a cada passo para frente que ela dava, voltava dois pra trás com seus receios e medos. Tinha horas que eu queria dar um empurrão nela e falar "você tem que se decidir!!!!", pois não aguentava tantas idas e vindas e o modo como ela tinha medo de se entregar ao que realmente queria, de tentar e ver se iria ou não gostar do que Christian propunha. Mas claro que esse jogo é que faz e movimenta a história e vai prendendo a atenção do leitor.

No geral, gostei muito do modo com E L James vai nos conduzindo no decorrer da história e já estou louquinha para começar o segundo volume e ver o que vem pela frente...

9 comentários:

Andrea C disse...

Oi, Regina! Eu li a trilogia na primeira versão, que nem tinha sido editada direito. Talvez isso explique o fato de eu achar que ela tenha sido mal escrita e que seja bem similar ao Crepúsculo em termos de acontecimentos básicos (tipo o número e a personalidade dos coadjuvantes, a cena em que a Ana conhece a família dele etc.).
Meu maior problema, no entanto, foi com os personagens. Chris é maluco (e não to falando da parte sexual), extremamente dominador (do tipo não deixo minha mulher sair de casa) e, ao mesmo tempo, a Ana é tão gansa que precisa mesmo ser salva por ele o tempo todo. Não gostei.
Quanto à parte BSDM, é bem fraquinha e é tratada como um problema psicológico, que pode ser "curado" com amor. Algo completamente contrário ao que sempre li nas séries BSDM. Eu, por minha parte, realmente não acredito que pessoas que gostam disso sejam necessariamente traumatizadas.
Ah, eu achei um livro mais legal, sem a parte BSDM e relativamente parecido, chama Knight da Kristen Ashley.
Beijos
PS: a cobertura da mídia dá vontade de matar. Além de preconceituosa com romances em geral, ainda é extremamente machista, chamando o livro de "mommy porn". Parece que descobriram o gênero erótico ontem.

Lilian disse...

Concordo com o que a Andrea disse sobre a mídia, viu. Eita povinho de mente fechada.

A cada resenha que leio não sei se quero ou não quero ler. Bom, eu vou acabar lendo porque a curiosidade é muita. Mas não sei o que esperar, porque cada um diz uma coisa!

Acho que a gente que já tá acostumada ao gênero erótico nem vai sentir muito, sabe...

Débora Lauton disse...

Eu estou bem curiosa para ler esse livro e só o fato de ele estar causando tanta comoção já é uma boa coisa para nós...
Se depois de Crepusculo surgiram 2 trilhões de livros YA sobrenaturais, espero que apareça um número equivalente de romances eróticos e quem sabe as editoras brasileiras abram os olhos e descubram que não só adolescente que lê livros...

beijos,
Dé...

Regina disse...

Andrea,

Eu li algumas críticas à escrita da autora, mas não vi nada tão grave assim! Achei que a trama foi bem desenvolvida - apesar dos problemas que indiquei da indecisão da personagem e que me incomodou. Confesso que estava meio amedrontada do que encontraria e fiquei feliz com a história.

Como disse, só li Crepúsculo e, apesar de ter gostado, não segui a série e, por isso, não sei dizer se houve muitas semelhanças, mesmo tendo sido originada como fanfic.

Estou no segundo volume e estou gostando mais do desenrolar da história... vamos ver até o final.

Qto à cobertura da mídia, acho que o mal estar está sendo causado por um romance estar em primeiro lugar em vendagens - ainda por cima, um romance erótico!!!! Imagine os machões engolindo isso rsrsrs.

bjs

PS: E, tenho de confessar, como conheci o Gabriel primeiro (Gabriel´s Inferno de Sylvain Reynard), Grey ficou um tantinho apagado... vamos ver se ele se recupera no decorrer da trilogia rsrsrs

Regina disse...

Lilian

Eu vi muitas críticas negativas, principalmente com relação à linguagem pobre de James, mas confesso que não vi nada tão drástico e que merecesse esse desmerecimento.

Acho que a "grande" mídia só agora se ligou que mulher gosta de romance HOT e isso chocou os preconceituosos rsrsrs... mas vi nos grupos americanos que muitas das meninas indicaram esse livro para colegas que nunca tinham se aventurado no romance erótico e acho que isso causou um certo "furor"... Só que, como você disse, quem já está acostumado a ler esses romances não vai achar nada fora da zona de conforto.

E leia sim os livros. Nada como a gente matar a curiosidade e descobrir se há mesmo motivo para tanto "barulho"

bjs

Regina disse...

Débora,

também estou torcendo para essa repercusão toda fazer com que as editoras percebam que a mulherada quer livros adultos e traga as autoras que a gente tanto sonha para o Brasil!

Vou torcer muito para essa trilogia ser campeã de vendas por aqui!

bjs

Andrea C disse...

Gente, sugeri o livro errado!!! Confundi pq li sobre os dois no mesmo blog antes de comprá-los.
Sugiro Bared to You, da Sylvia Day. Knight é menos legal.
Não tinha nada muito grave na primeira versão Regina, só o andamento da história que não era lá essas coisas. Não colocaria na lista de livros ruins, mas esperava mais.
Vou ler o Gabriel's Inferno! Fiquei com vontade de conhecer (não tinha empolgado muito pq não gosto, normalmente, da temática aluna/professor).
Beijos

Itzel Aguilar disse...

Longe de ser um filme erótico apenas parece romântico. As cenas são muito bem cuidados para o meu gosto. Novos filmes este eram 2015 Devo muito, especialmente este. Espero que haja continuação, como já foi discutido.

Ale disse...

Eu ri muito com as histórias, eu acho que isso mostra o grande sucesso na primeira trilogia já havia pego muitas pessoas. Recentemente, vi o filme para a HBO Cinquenta Tons de Cinza e eu tenho que dizer que, como um leitor da trilogia deixou uma boa impressão boca, especialmente por Christian