11 de outubro de 2009

O Pecador Arrependido de Penny Jordan

O renomado advogado Max Crighton tinha uma família modelo…ou assim parecia…Acostumado a seduzir as clientes e desprezar Madeleine, sua esposa, ele não passava de um grande patife. No entanto, quando escapa por um triz de um brutal atentado, ele passa a ver a vida com outros olhos. Ao sair do hospital, Max está arrependido e quer ser perdoado…mas conseguirá ele reconquistar a confiança perdida?

 

Ouvi alguns comentários sobre esse livro e fiz algo que raramente faço: li um livro de série fora de ordem! Pintaram Max como um homem mau e que merecia o “mármore do inferno” e eu precisava checar por mim mesma!

Max é mesmo um canalha da pior espécie. Trai a esposa descaradamente, é completamente narcisista, destrata os filhos e a família, enfim um homem que merece somente desprezo! Maddy é a perfeita “Amélia” – aguenta calada as traições, as ofensas e desmandos do marido somente para garantir uma família para os filhos, uma família amorosa – avós, tios, primos – que ela não teve como filha única de pais ambiciosos e devotados à carreira.

Em uma viagem à Jamaica para procurar o tio – desculpa que arrumou para arrancar umas férias pagas pelo avô – Max é brutalmente atacado por assaltantes e acaba entre a vida e a morte. No momento em que experimenta o fenomeno conhecido como quase morte, Max percebe que o que falta em sua vida é o amor! Não o amor por sua mulher ou família, mas o sentimento amor. Quando acorda do coma, está mudado.

Ao mesmo tempo, na Inglaterra, Maddy também passa por mudanças. Ela assume a tesouraria da instituição dirigida pelas mulheres da família e que ajuda mães solteiras. Nesse novo cargo, ela conhece Griff, o contador da instituição, e se descobre como uma  mulher desejável e competente e percebe que ela pode, sim, viver sem Max e manter seus filhos inseridos na família.

Agora, Max e Maddy precisam descobrir como administrar essas mudanças e ver que futuro pode haver para um casal que passaram por tudo o que passaram no casamento. Achei o livro interessante e, claro, agora preciso procurar os outros livros da série e acompanhar se as mudanças dessa dupla realmente continuarão.

7 comentários:

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

nao li nenhum livro dessa serie..
Ela é enorme...

Mas fiquei interessada em ler esse.. pra morrer de raiva do mocinho-bandido...

Bjos,

La Sorcière disse...

Nossa Rê.....é tão difícil livrinho de banca com um enredo assim, diferente!!!! Nunca vi um "mocinho" não ser realmente bom e cheio de princípios morais, esta é a primeira vez!!!!
A história deles ainda vai continuar em outros volumes?
Tomara que ela não perdoe ele!
BJ

Tonks71 disse...

Regina,

Não li nenhum livro dessa série..
Ela é enorme... (2)


A família Crighton é muito grande. São 11 livros.kkkkkkkkkkk. Estou em processo de aquisição dos livros.rsrsr
Mas esse livro é muito comentado...

Adoro os livros de banca com tema de redenção.

bjos.

Natália Alexandre disse...

Eu adoroooooooooooooo a Penny Jordan, porém li um volumo dos Crigton, e abandonei, não lembro qual era o nome.

Mas foi a pirmeira vez q abandonei um livro da Penny. Adoro ela.

Qualquer dia vou reler, rs, acho que eu é que nã oestava num bom momento.

bjss

Carla Martins disse...

Oieeee, me ajuda com um clickezinho? Preciso de um mutirão de todas as minhas amigas virtuais! Blogueiras, unidas, jamais serão vencidas! Vê meu post de hj e me ajuda...hein? hein? hein?

Vivi disse...

Rê, tinha que ser da Penny, né? Ela gosta de causar polêmica...rs

Beijos

Cáh disse...

Olá Rê eu postei o resumo deste
livro no meu blog a pouco tempo. E esse concerteza é o livro da Penny que eu mais adorei. Apesar de todos os livros dela serem o máximo.

Eu li um outro da série Crighton que também já postei lá no meu blog, mas não é nada comparado a esse. Assim como a Alê, eu gostaria que o livro tivesse uma continuação da mesma história, mas...

Um bj!!!