29 de dezembro de 2009

O Jardim de Ossos de Tess Gerritsen

Boston 1830.

Para pagar os estudos, Norris Marshall, um estudante de medicina talentoso, mas sem recursos financeiros, integra as fileiras dos “ressurreicionistas” – saqueadores de tumbas que negociam cadáveres no mercado negro. Contudo, até mesmo o mórbido comércio parece insignificante diante do corpo mutilado de uma enfermeira encontrado no terreno do hospital universitário. Quando um médico renomado sofre o mesmo destino, Norris descobre que seu ganha-pão ilícito o transformou no principal suspeito dos crimes.

Para provar sua inocência, o estudante precisa encontrar a única testemunha que viu o assassino: Rose Connolly, uma bela costureira dos cortiços de Boston. Ao lado do sarcástico e inteligente Oliver Wendell Holmes, Norris e Rose vasculham a cidade em busca de um maníaco que aguarda a próxima oportunidade para matar.

Massachusetts, Dias Atuais.

Julia Hamill fez uma descoberta terrível em sua nova casa no interior: um crânio enterrado no jardim. Humano, feminino e, de acordo com a patologista Maura Isle, com traços inconfundíveis de um homicídio. Quem quer que tenha sido ou o que quer que tenha acontecido com aquela mulher, é algo perdido no passado.

Com suspense incansável e uma perfeita reconstituição de época, O Jardim de Ossos intercala habilmente a história de protagonistas dos séculos XIX e XXI, desvendando os mistérios obscuros por meio do tempo e do espaço. Forte, sangrento e brilhante, confirma o talento primoroso de Tess Gerritsen.

Esse é o primeiro livro dessa autora que li – e adorei! Quero agradecer a Aline pelo presente de Amigo Secreto! Obrigada, é um livro simplesmente fantástico!

Recém-divorciada, Julia Hamill tenta recomeçar sua vida comprando uma casa antiga e muito necessitada de cuidados. Escavando o jardim abandonado, ela encontra um crânio. A polícia investiga e descobre um corpo que foi enterrado muito antes de a casa ter sido construida, em 1880.

Julia, então, recebe um telefonema de Henry Page, primo da antiga proprietária da casa (Hilda) e historiador da família. Henry ficou com todos os documentos que estavam na casa de Hilda e oferece ajuda a Julia para, juntos, descobrirem mais sobre o esqueleto enterrado no jardim. E assim, vamos descobrindo mais sobre Norris, Rose e Holmes e sobre o Estripador de West End.

Tess faz uma reconstituição histórica muito boa – a gente se sente em 1830, com sua sujeira, preconceitos (contra imigrantes irlandeses e papistas), pobreza e luta pela sobrevivência. Vemos também os elegantes salões onde cavalheiros e damas das classes altas se divertem e interagem. Norris é um personagem com um pé em cada ambiente: fazendeiro pobre, vê no estudo da medicina, além de vocação natural, um modo de ascender socialmente.

Rose Connolly é uma imigrante de 17 anos que vê sua irmã sofrer as dores do parto por cinco dias. Deitada numa cama de hospital, Aurnia sofria e guardava um segredo. Rose, apesar da pouca idade, é uma sobrevivente. Uma mulher forte, íntegra e amorosa. Além de muito bela.

Começam a acontecer crimes hediondos, com as vítimas brutalmente mutiladas. Norris, que encontrou os dois primeiros corpos, passa a ser o principal suspeito. Para evitar ser preso, ele precisa da ajuda de Rose, a única que viu o assassino. Temendo por sua vida, Rose passa a se esconder e, depois de alguns dissabores, junta-se a Norris e Holmes para tentar evitar novos assassinatos e eliminar a ameaça que paira sobre eles.

Com todos os crimes, violações de sepulturas, aulas de anatomia e sofrimento e pobreza, o amor que nasce entre Rose e Norris é um sopro de ar fresco! Um amor calmo, belo, puro… Mas o suspense e mistério que cercam esses personagens e os ligam a Julia e Henry e Tom, sobrinho-neto de Henry, é de um brilhantismo maravilhoso! Tess tece uma história perfeita e o último ponto completa o quadro de forma brilhante! Recomendo.

9 comentários:

Débora Lauton disse...

Nossa, já fiquei curiosa... vou colocar na listinha de compras de 2010...rss

beijos e um ano novo maravilhoso para você e seus familiares...

La Sorcière disse...

Rê, viciei nesta autora depois de ler Gravidade! Amei o estilo dela e logo em seguida comprei mais dosi livros: desaparecidas e o cirurgião!!
Este livro que vc leu, faz parte da minha wish list!!!!
Bjs

Celsina disse...

Ainda não li essa autora mas agora já tem dois livros dela na minha lista, esse que você
leu (me deixou curiosa) e gravidade (que vi a resenha no blog de Alê).

Beijos!

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Feliz ANo Novo!!!! Beijos

Lariane disse...

que coceira para ler esse livro =)

Maraiza disse...

To passando para desejar um Feliz ano de 2010, com muita paz, amor, realizações, união e prosperidade.
bjux amiga!

Carla Fernanda disse...

Regina,

Estou passando para desejar-lhe um ano vitorioso, cheio de realizações e metas alcançadas. Enfim, um ANO MARAVILHOSO!

Que muitos romaces sejam lidos e apreciados.

Que possamos encarar com seriedade e bom humor as adversidades da vida e as peças que ela nos prega em nossa jornada cheia de percalços.

Que venha muitas emoções de alegria e felicidade; novos amigos, ainda que os amigos verdadeiros, permaneçam fiéis em sua amizade e lealdade.

Que você desfrute de um ano abençoado cheio de paz, amor, felicidade, realizações, sonhos realizados, metas alcançadas, muita prosperidade e saúde para dar e vender.

Que neste ano, continuemos a compartilhar juntos o gosto mútuo pela leitura, que é inovador, inspirador e enriquecedor! Não só compartilhar nossas leituras, mas também outros assuntos afins.

Vamos celebrar juntos mais essa nova jornada!

Conto com você e suas amigas no meu blog Sonho de Reflexão!

Beijos.

Carla.

Ozanira Câmara disse...

Comecei ler Tess esse ano com O Cirurgião e me viciei, depois li O pecador e O Dominador. Estou lendo O Jardim de Ossos e me surpreendo como a autora consegue se superar em cada livro.

Ela disse...

Eu li. Muito bom mesmo.