17 de janeiro de 2011

A Queda – Guillermo Del Toro e Chuck Hogan

O mundo foi tomado por uma misteriosa pandemia. Ao que parece, a praga começou a se espalhar depois que o Boing 777 pousou no JFK trazendo uma estranha carga a bordo.

Dr. Eph Goodweather, médico responsável pelo Centro de Controle de Doenças do aeroporto, descobre que o vírus, devastador para a humanidade, tem origem em outro mundo. Desacreditado por todos, ele precisa desesperadamente manter seu filho Zach longe da mãe que, contaminada, volta para infectar seus entes queridos.

Que ato maldoso da natureza foi capaz de criar seres que se alimentam de sangue? De onde eles vêm?

Descobrir a origem dos vampiros é a única chance de destruí-los, garante o professor Setrakian, um sobrevivente dos campos de concentração nazistas que dedica a vida a estudar esses monstros e está disposto a tudo para destruir o Mestre, a criatura sombria por trás da pandemia.

Na expedição que organizam para eleminar os vampiros ainda no ninho, Setrakian e Eph são guiados por Vasily, um exterminador de ratos que conhece os subterrâneos de Manhattan, onde as criaturas do mal se escondem. A guangue de rua dos Safiras junta-se ao grupo em mais um acordo inusitado entre os muitos que surgirão.

Além da luta de humanos contra vampiros, A Queda, segundo volume da Trilogia da Escuridão, narra uma outra guerra: Mestre, o mais jovem dos vampiros Antigos, quer eliminar seus rivais e controlar sozinho o planeta. Para isso, prepara uma geração mais forte e numerosa. A falange de crianças cegas comandada por ele é uma imagem assustadora da espécie que dominará o mundo com o início da Eterna Noite – e uma demonstração da invetividade e do talento literário dos autores, o cineasta Guillhermo Del Toro e o escritor Chuck Hogan.

 

Depois de Noturno, aguardei ansiosa pela continuação e para poder rever os personagens e o universo criado pelos autores. Setrakian, Eph, Nora, Vasily, Gus, Zach… personagens que me cativaram e por quem torci e torço muito.

Gosto muito do modo como os autores vão conduzindo a trama – e a nós, leitores – através dos subterrâneos e da cidade devastada de Nova York. E, aos poucos, vamos nos inteirando dos planos do Mestre e vendo as peças se encaixando… claro que ainda não vimos todo o plano, mas o que foi mostrado é terrível!

Não dá para falar muito do livro sem dar spoilers, coisa que não gosto de fazer. Mas uma coisa que notei e achei genial da parte dos autores foi fazer um paralelo da vida de Setrakian. Quando jovem, ele foi confinado no Campo de Concentração de Treblinka. Como carpinteiro, ele foi aproveitado como mão de obra escrava pelos nazistas e foi quando, pela primeira vez, teve contato com o Mestre, pois o viu sugando a vida dos prisioneiros noite após noite. Depois desse primeiro contato, Setrakian dedicou sua vida a caçar as criaturas. E foi percebendo que  a maioria dos seguidores mais próximos do Mestre foram os comandantes do campo. Então sua luta é uma luta dupla: contra os vampiros e contra seus algozes do campo.  E é de se notar como os autores mostram que não se precisa de sobrenatural para se ter horror. Mais horror que os nazistas praticaram – e eram humanos. Mas claro que os vampiros trazem o HORROR às páginas e o sangue corre muito e há fartura de mortes.

E é muito interessante observar a luta de inteligência e sagacidade entre Setrakian e o Mestre e seus discípulos. Os dois têm planos muito bem amarrados e que vão revelando aos poucos… E o tempo urge!

Outro personagem que me cativa – entre todos que citei – é Vasily! Ele é um exterminador de ratos e conhece muito bem os subterrâneos onde eles se escondiam. E é esse conhecimento que o torna imprescindível na caçada aos vampiros. Fora que ele é o tipo de homem com quem se pode contar e está sempre pronto para a batalha, seja ela qual for.

E agora estou aguardando ansiosa a conclusão da trilogia. Espero que não demore muito.

Um último comentário: estava falando sobre o livro com um amigo e ele disse algo que achei notável: “os vampiros estão de volta ao lugar certo: a literatura de terror. Chega de vampiros bonzinhos!” Não que eu concorde com ele, pois adoro vampiros bonzinhos, mas é interessante mesmo ver esse retorno, pois os vampiros foram minha primeira experiência nos filmes de terror – e eu sempre os temi muito… tanto que relutei muito em ler um livro em que apareciam! Agora estou completamente viciada no gênero: seja de terror ou amor que venham os vampiros!!!

1 comentários:

Raphilicious disse...

Olá! Eu estava procurando pela capa de Loved Mine na net e encontrei a resenha do livro - e a capa -. Mesmo nao querendo ler spoileers nao resisti e li a sua resenha. Ficou perfeita!

Depois dessa, eu gostaria de saber se vc aceita parceria! Seria um prazer ter você no meu blog!

Grande abraço e parabens!