7 de dezembro de 2010

Calafrio de Maggie Stiefvater

calafrio

Grace Brisbane tem 17 anos e os mesmos desejos e inseguranças das outras meninas de sua idade. Entrar para a faculdade é uma de suas preocupações, mas ultimamente anda dispersa durante as aulas na escola de Mercy Falls, perdida num mundo só seu.

Há seis anos, foi levada por um bando de lobos que vive num bosque vizinho à sua casa. Em meio a uma paisagem congelada e sombria, um lobo de profundos olhos amarelos, deslumbrado por sua beleza, salva a menina do ataque. Desde então, Grace nunca conseguiu esquecer aqueles olhos. Fascinada por esses animais, todo ano ela espera ansiosamente pela chegada do frio para reencontrar “seu lobo”, com quem trava um diálogo silencioso.

Os anos passam, e quando um rapaz da escola de Grace é assassinado por lobos, a cidade inteira se mobiliza para caçá-los. Homens armados entram na floresta, e Grace não consegue impedir que eles atirem. Agora era tarde demais, pensou. No entanto, no silêncio do crepúsculo, ao voltar para casa, se depara com um garoto nu, caído na soleira de casa. Ao fitar seus olhos brilhantes, ela não tem dúvida de que está diante de seu lobo em forma humana. Os dois se apaixonam, e mesmo sabendo dos perigos, Grace está disposta a tudo para viver ese grande amor.

Misturando suspense, sensualidade e fantasia, Calafrio é a história de dois jovens que aceitam correr todos os riscos, até mesmo o de deixarem de ser quem são.

Grace é uma estudante brilhante e uma filha amorosa e obediente. Sempre faz o que é certo, o que é esperado dela. Mas ela guarda um segredo… Ela está perdidamente atraída por um lobo! Parece loucura, mas ela sente uma ligação muito forte com o lobo de olhos amarelos que a salvou do ataque da alcatéia, quando ela era criança.

Depois que um jovem da comunidade é morto em um ataque de lobos, os animais passam a ser perseguidos e caçados. Jack era um rapaz metido a valentão, um rapaz que se achava melhor que os outros e, depois de sua morte, foi meio que “santificado”. É onde a história começa a se complicar. Grace pode jurar que viu um novo lobo na alcatéia com os olhos idênticos aos de Jack! E o mistério vai crescendo até ela encontrar um jovem nu e ferido na porta de sua casa… e com os lindos olhos amarelos de seu lobo!

Sam é um personagem maravilhoso! Muito culto, calmo, amoroso e muito carinhoso. Ele e Grace começam uma amizade que vai crescendo e crescendo até se transformar em um amor tão lindo e adulto que nos encanta!

Vale destacar que Maggie consegue nos passar muito bem a ideia de que o tempo que Sam e Grace têm juntos é contado… que a chegada do inverno pode separá-los para sempre e que eles têm de aproveitar o máximo do tempo de que dispõe juntos. A gente faz a leitura esperando algo acontecer a cada página que viramos.

E também o modo como a autora escreveu, dando a palavra em um capítulo a Sam, depois a Grace e contando a história a partir do ponto de vista de cada um, num verdadeiro ele disse/ela disse, é uma atração a mais e um prazer a mais durante a leitura.

E outro destaque é o modo como Sam e Grace se complementam e anseiam ter o que o outro tem. Sam deseja a humanidade de Grace, não permitir que o frio o transforme em lobo. Grace deseja pertencer a uma família e a uma hierarquia como a da alcatéia. Seus pais são amorosos, mas egoístas e desligados e, constantemente, a deixam sozinha e sem atenção.

Na capa do livro diz que “se você gostou de Crepúsculo, vai amar Calafrio”. Eu, particularmente, achei Calafrio superior à Crepúsculo… mas talvez seja por que eu prefira os lobos! Mas o fato é que eu pretendo seguir a série dos Lobos de Mercy Falls e espero os outros volumes não demorem a chegar por aqui.

2 comentários:

La Sorcière disse...

Eu sou louca para ler este livro! E achei sua resenha super positiva... me deixou com água na boca!!
Bj
Alê

Débora Lauton disse...

Adorei a resenha, vai pra minha listinha de compras...
Eu já tinha lido a respeito do livro, mas não havia me interessado... essa pelo menos é uma indicação sua que eu posso ir atrás... fico tão chateada quando você fala super bem de um livro que é em inglês... =(

beijos,
Dé...