13 de dezembro de 2010

No Place to Run de Maya Banks

no-place_328

A última pessoa que Sam Kelly esperava tirar ferida do lago era Sophie Lundgren. Eles tiveram um breve e intenso relacionamento enquanto Sam estava disfarçado, e então ela desapareceu. Ela passou os últimos cinco meses fugindo, sabendo que qualquer erro poderia custar sua vida e a vida de seu bebê por nascer – o bebê de Sam. Agora ela ressurgiu com um aviso para Sam: dessa vez, ele é quem está em perigo.

Sam tem muitas perguntas para permitir que ela escape novamente – como por que ela desapareceu antes. Dessa vez ele jura que não se deixará seduzir. Mas um olhar nos olhos dela e a paixão se acende novamente, e Sam sabe que ele fará qualquer coisa para proteger a ela e a seu bebê. Contudo, o passado de Sophie é mais perigoso do que ele imagina, e o único modo para que ambos sobrevivam é vencê-lo.

Bom, não sei se já comentei antes, mas estou completamente apaixonada pelos Kellys!!! Maya Banks realmente caprichou nessas histórias (duas até agora, e espero que venham muito mais depois da terceira que sai no começo de 2011) e nos traz muito romance com altas doses de ação e suspense.

Sam e seus irmãos vão ao México atrás de um traficante de armas, a pedido da CIA, e tentam se  passar por compradores. Enquanto estão disfarçados, Sam conhece Sophie, que é garçonete num bar bem barra pesada, e eles têm um relacionamento intenso e apaixonado e completamente sem futuro… pelo menos, é o que ambos pensam…

Quando a missão não sai bem como esperado, Sam volta para sua casa, não sem antes procurar por Sophie, que já tinha desaparecido no mundo, depois de tomar algumas atitudes bem difícies, principalmente com relação a seu pai e o modo como a tratava.

Cinco meses depois, Sophie, grávida de Sam, vai procurá-lo (e é bem explicado como ela sabe onde ele vive e quem ele é, apesar de ele não ter se apresentado com seu nome real a ela) e acaba caindo em uma armadilha de um dos homens de seu tio, que a persegue sem piedade. Ela luta com ele e acaba caindo no lago. Sam mora em uma casa na beira desse lago e no dia seguinte, ele a resgata quase morta e assim começa a aventura – e que aventura! A história tem muitas reviravoltas, revelações surpreendentes e muito perigo e suspense.

Sam, ao acolher Sophie, coloca toda sua família em perigo e precisa da ajuda de seus irmãos e das duas equipes KGI para ajudá-lo a enfrentar a difícil situação que se apresenta e a proteger Sophie e o bebê. Em uma luta desesperada, há suspeitas de traições e mentiras e muitas decepções e enganos no caminho… e é impossível se largar o livro tamanha a tensão e vontade de ver como tudo se resolverá!

Já estou aqui aguardando ansiosa o livro do Garrett (que já é um de  meus favoritos) que sairá em Março… Quem quiser conhecer mais sobre a série pode consultar o site da Maya e ler alguns trechos dos livros. Vale a pena…

4 comentários:

Lilian disse...

Menina, cada vez que leio uma resenha dessas, eu corro lá na Cultura, morta de vontade de ler.

Adoro esse tipo de romance policial. Vou precisar de uma substituta pra Julie Garwood quando acabar toda a série de contemporâneos dela...

Regina disse...

Ah. Lilian...

Eu me apaixonei pelos Kellys (principalmente Garrett..., não que os outros sejam de se jogar fora kkkkkkkk).

E ainda por cima tem os personagens secundários: Steele e Rio (esse brasileiro) que são líderes de esquadrão e PJ, uma mulher que é atiradora de elite - e muito boa no que faz, por sinal (essa é uma que gostaria de conhecer mais e ver sua história contada, pois é tão raro uma mulher nessa profissão...)

Fora que as mocinhas não são bobonas, mas lutadoras...

Essa é uma série que quero que seja beeeeem longa

bjs

Josy-chan disse...

Essa não é a autora da mulher dos colters? Eu amavaaaa aquele livro, apesar de ser uma pornografia..ahauahauahaua... vou colocar este livro na minha listinha agora^^ lerei, com certeza^^

Regina disse...

Oi Josy

É ela mesma!!! Apesar de eu ter o livro dos Colters, ainda não li...

Mas nessa nova série, nada de menage... rsrsrsrs. Os Kellys são muito possessivos e não aceitam dividir (nem com os irmãos)... pelo menos as mulheres kkkkkkkk

bjs