18 de abril de 2011

Crave de J.R.Ward

Sete pecados mortais. Sete almas que devem ser salvas. Mais uma batalha de  vale tudo entre Jim Heron, um anjo caído com o coração endurecido, e um demônico com tudo a perder.

Isaac Rothe é um soldado de operações especiais com um passado sombrio e um futuro inflexível. Alvo de assassinos, ele se vê atrás das grades, seu destino nas mãos da bela defensora pública Grier Childe. Sua intensa atração por ela é totalmente  do tipo lugar errado / hora errada – e isso é antes de Jim Heron lhe dizer que sua alma corre perigo. Pego em um jogo perverso com o demônio que persegue Jim, Isaac deve decidir se o soldade nele pode acreditar que o amor verdadeiro é a arma final contra o mal…

J.R.Ward conseguiu mesmo criar um outro universo com essa série! Apesar de seu estilo de escrita estar presente, Fallen Angels é completamente diferente da Irmandade – seja no ritmo, seja no clima. Falar que adoro o estilo de J.R.Ward é chover no molhado, mas não dá para evitar dizer que o modo como ela escreve é fantástico. E o domínio que ela tem sobre sua criação também é nítido e completo!

Nesse segundo volume continuamos a seguir Jim Heron e seus amigos anjos na luta contra o demônio e no jogo entre o Bem e o Mal que pode decidir o destino da humanidade.  Como vimos em Covet há sete almas que precisam ser salvas, mas, com o livre arbítrio, tanto o bem quanto o mal podem influenciar essas pessoas – e é aqui que entram Jim e seu oponente -  e essa salvação é o palco de uma batalha eterna e que, pelo visto, está chegando ao final – uma última chance para ambos os lados, quem perder, perde tudo!

Isaac Rothe é o alvo da vez! Um soldado assassino das X-Ops, ele deserta. Só que ele tem consciência que não há baixa dessa instituição! Se você sai, você está morto… Portanto, ele vem fugindo e se escondendo e vivendo como pode. Uma forma que encontra para se sustentar e levantar algum dinheiro é lutar. E é num ringue de luta clandestina que ele acaba preso e conhecendo Grier Childe, uma advogada riquíssima que, além de ter um escritório ultra tradicional,  trabalha pro-bono na defensoria pública.

Grier e Isaac sentem uma atração instantânea um pelo outro. Mas as diferenças entre eles, mais o fato de serem cliente e advogado, faz com que não se entreguem a esse sentimento. Claro que as circunstâncias e acontecimentos vão colaborar para uní-los e fazer com que lutem lado a lado. E posso garantir que as surpresas nesse caso são muitas e muito bem explicadas!

O começo da história é super lento! Tão lento que quase desanimei em ler – tanto que li alguns outros livros para contrabalançar. Mas quando a história engata é impossível de largar! E, quando você acha que tudo está se encaminhando para uma direção, J.R dá uma guinada tão grande que você acaba perdendo totalmente o rumo e a direção! E não foram poucas as guinadas… realmente um livro com muitas surpresas e reviravoltas incríveis!

Eu considero Fallen Angels uma série muito mais sombria que a Irmandade. O demônio que luta contra Jim é realmente um ser terrível e cruel e não mede esforços para dominar e derrotar seus oponentes. Algumas cenas são realmente muito pesadas e de muito sofrimento. Ainda bem que temos Nigel, Colin e os outros dois arcanjos para nos dar um alento e trazer um pouco de humor e luz – apesar de, algumas vezes, ter ficado com uma pontinha de raiva deles…

Dessa vez a ação não se passou em Caldwell, portanto nada de avistar nossos meninos da Irmandade. Mas Envy (o próximo livro) vai voltar a Caldwell e  então quem sabe…

3 comentários:

Lilian disse...

Pelo jeito nessa série ela diminui mesmo o ritmo da narrativa, né? Não estou morrreeeeeeennnndooo de ansiedade pra ler, mas quando der, quero pegar sim. Quero ver aqueles "Hell's Angels" - literalmente - outra vez...

Ward é mesmo irresistível, né?

Bjs!

Regina disse...

Então, Lilian

É incrível ver como uma mesma autora consegue fazer duas séries de sucesso e tão diferentes! Ela não é repetitiva e sabe dosar muito bem as coisas e é por isso que eu a admiro muito!

O ritmo no começo é bem lerdo mesmo, mas quando pega o pique vai que é uma beleza!

A vilã aqui é daquelas de deixar a gente de queixo caído! Que cenas!!!!!

Leia sim que vc não vai se arrepender...

bjs

Débora Lauton disse...

Sabe que até agora eu estava com receio de ler essa série... mas agora que você falou que ela conseguiu fazer essa diferente, vou dar uma chance... eu amo o jeito que ela escreve, mas achava que era mais do mesmo...
Bom saber que eu estava errada.

Beijos,
Dé...