7 de janeiro de 2010

Doce Volúpia – Harlequin Dueto # 5

doce volupia

O PRISIONEIRO – Hope Tarr

Escócia do Século XV, um lugar e um tempo em que era difícil ser mulher e estar no comando. Para Brianna MacLeod, nova chefe de seu clã, sua primeira tarefa era conceber um herdeiro que assegurasse sua posição. E a melhor forma de conseguir isso seria sequestrando Ewan Fraser, um homem por quem sentia uma forte atração… e também um de seus mais poderosos inimigos…

A CONCUBINA de Jade Lee

Chen Ji Yue está a caminho da corte na China do século XIX. Para se tornar imperatriz e cobrir sua família de honras, ela precisa apenas ser pura, tolerar intrigas, superar 299 rivais… e não se envolver com Sun Bo Tao, o melhor amigo do imperador e um homem bastante… atraente. Ji Yue está em sérios apuros. Afinal, ele é irressistível… e não parece nem um pouco inclinado a se afastar dela…

Esse é meu primeiro livro do Desafio Literário 2010 by RG. O tema de Janeiro é Romance de Banca (Nova Cultural ou Harlequin). Gosto muito de livros de banca, mas geralmente prefiro os da Nova Cultural. Ouvi falar muito bem desse volume da Harlequin e, quando o vi na banca, não tive dúvidas e o comprei! Vou ser bem sincera, não gosto muito de livros com duas histórias, pois sempre sei que vai haver muitos cortes edições, mas gostei deste, principalmente da segunda história.

Bem, tenho de confessar que amo histórias com escoceses – principalmente com o nome Fraser! Mas O Prisioneiro não me agradou muito…

A história começou muito linda, com Brianna e Ewan se encontrando ainda crianças e fazendo um juramento de sangue de se casarem quando crescessem. Circunstâncias fazem com que Brianna não cumpra a promessa e se case com um homem indicado por seu pai. Donald era um homem frio e não muito criativo na cama e, portanto, Brianna era inexperiente. Depois do assassinato do marido – supostamente por Callum Fraser – Brianna ordena o sequestro de Ewan (irmão gêmeo de Callum) como vingança. Ela pretende usá-lo como um reprodutor e gerar um filho que acabe com a rixa entre os clãs.

Duas coisas contribuiram para que eu não gostasse muito dessa história: a primeira foi o que considerei uma falha da autora: Brianna é retratada como uma viúva sem muita experiência sexual, mas ao ver Ewan acorrentado em sua cama simplesmente agiu com muito “fogo” (foi com muita sede ao pote, se é que me entendem!) e não vi inexperiência alguma em suas ações (rssrsrsrs). Não havia concordância entre o que se narrava e as ações da personagem e essa falta prejudicou a minha credibilidade na história – mesmo as emoções do final não foram suficientes para me fazer relevar esse fato!

A outra infração foi cometida pela tradutora. Ela não foi capaz de fazer uma simples pesquisa no dicionário e ficou usando a palavra feudo (em inglês feud) como sinônimo de rivalidade / rixa o livro inteirinho. Eu não tive preguiça e procurei no Houaiss e feudo não tem esse significado em português! Segue abaixo:

Datação
sXIV cf. FichIVPM
Acepções
■ substantivo masculino
1 Rubrica: história.
na Idade Média, terra ou (mais raramente) direito, função, renda concedidos por um senhor a um vassalo em troca de obrigações de fidelidade mútua (proteção da parte do senhor, serviço da parte do vassalo)
2 Derivação: por metonímia. Rubrica: história.
o conjunto dos servos de uma propriedade feudal
3 Rubrica: história.
direito ou dignidade feudal
4 Rubrica: história.
tributo obrigatório
5 Derivação: por extensão de sentido (da acp. 2).
domínio, zona de influência preponderante
Ex.: f. eleitoral
6 Derivação: por extensão de sentido, sentido figurado.
posse exclusiva; coisa de que se dispõe de maneira absoluta
7 Derivação: sentido figurado.
obrigação penosa; fardo
Ex.: aquele homem carregava um pesado f. imposto pela própria família

Mas a tradutora se redimiu na segunda história! Quando vi que era a mesma, já torci o nariz, mas paguei por isso! A Concubina é uma história deliciosa e delicada e não consegui parar de ler. Adorei o modo como a Jade Lee conseguiu passar a cultura e tradição chinesa nessa história.

O imperador está procurando uma imperatriz, mas além dela, ele vai montar um harém com as virgens escolhidas no Festival da Fertilidade! Esse festival reune as mulheres de todas as regiões da China, onde passarão por diversas “provas” até o imperador escolher sua eleita.

Chen Ji Yue, filha de um aristocrata menor, vê no festival a oportunidade de melhorar a vida de seus pais e irmãos. Na Cidade Proibida, ela enfrenta as futilidades, intrigas e traições das outras competidoras. Mas o mais difícil é lutar contra a atração que sente por Sun Bo Tao, o mestre do Festival!

Sun Bo Tao é um conquistador, mas ao mesmo tempo é um homem preocupado com o destino da China e com as ameaças dos ocidentais. É também é leal ao imperador, de quem é amigo de infância. Sentir-se atraído por uma das virgens destinadas ao amigo é algo que ele não precisa nem deseja.

Gostei da delicadeza com que a história é narrada, do tom, das cores, dos costumes e, principalmente, do modo como o relacionamento entre Bo Tao e Ji Yue foi sendo construído. Jade Lee conquistou uma fã! Estou com dois livros dela em minha pilha e acho que vou subí-los.

25 comentários:

Kézia Lôbo disse...

Ooo, pelo menos conseguiu um legal.. Ja é um lucro,vou procurar ler o segundo...
Boa critica.. XD

romancesinpink disse...

Oi Regina, eu li esse livrinho. Reparei também na questão do feudo. E eu até esqueci de comentar quando fiz a postagem dele.

O pior é que infelizmente a gente acaba se acostumando com o fato de que erros de tradução e revisão serem tão comuns em livros de banca. A gente na hora percebe o erro e mentalmente vai consertando tudo.

Esses erros também acontecem com livros de livraria, mas nos de banca é onde vemos os maiores absurdos...
É uma pena realmente.
bjos

La Sorcière disse...

Ai menina, nem peguei o livro do desafio na mão ainda!!!!
Achei a sinopse da segunda história muito interessante e vc confirmou minha suspeita com seu comentário!!!
Bj

Débora Lauton disse...

Menina,

Quando vi o nome Fraser já me arrepiei inteira...rss
Pena que a história é meio... hum... controversa...
Puxa, eu nunca li um romance de banca com personagens orientais... gostei...

beijos,
Dé...

Carol disse...

Esse livro realmente fez sucesso entre as leitoras de banca.

E como a RomancesinPink disse, a tradução às vez deixa muito a desejar.

Eu estou esperando esse livrinho chegar a mim (ganhei de uma amiga) e mais que as cenas hots da primeira história o que me atraiu nele foi a segunda. Afinal os orientais quase nunca são retratados.

Celsina disse...

Oii Regina, nossa que falha da tradutora né... ainda bem que você foi atras, infelizmente os tradutores parecem não dar muita importância á nos, leitores.

Para mim parece que as duas histórias são muito boas, apesar de nunca ter lido um de banca (se eu estivesse participando de desafio do RG seria a hora de ler)
=)

Bjoo!

Laís Doce disse...

Eu tenho um grande preconceito com esses livros com capas desse estilo..parece que só terão cenas "hot"! Sua resenha ta muito boa..e muito boa tb essa observação do erro da escritora...bjins

Natália Alexandre disse...

Eu ainda não tenho esse livro, mas estou correndo atrás, gostei do diferencial oriental, e como as meninas disseram "a tradução às vez deixa muito a desejar."

P.S: A Lais doce disse: Eu tenho um grande preconceito com esses livros com capas desse estilo..parece que só terão cenas "hot"!

Me senti tarada depois disso! Minha lista foi focada no tema Hot, as capas dos livros de banca então...são uma tentação. Agora claro que livro q só tenha sexo sem conteúdo não dá! Mas banca tem conteúdo, o melhor de tudom principalmente a série Fuego da Harlequim.

bjss

Tonks71 disse...

Nat, adoro tema hot! Não se preocupe gosto é gosto e não se discute. ;)

Srta. Camilla disse...

Quem falou em Fraser? Realmente não é da mesma família. Esse nosso escocês é sim tudodibão... hehehe!

Puxa, eu nunca li um romance de banca com personagens orientais... gostei... [2]

Vou tentar ler a segunda história então.

Bjo!

Laura Schwartz disse...

Nunca li os livros Harlequin ... Gostei da idéia de um romance de clãs escoses, me lembra a série da Diana Galbadon, mas pela resenha esse parece não valer muito a pena.

Bjo.

Patrícia Lerbarch disse...

Mininas, tô encantanda como vcs amam os romances de banca. Muito bom, estou aprendendo muito com vcs.

Bjus

Vivi disse...

Rê, que resenha maravilhosa! Adorei o senso crítico e detalhista. Dá gosto de ler. Enfim, eu como você, procuro evitar livros com duas histórias. Mas, esse eu leria só pela Jade Lee. Li a Tigresa Branca e achei o livro muiiiito bom e diferente do que eu já li. Vou procurar ler esse aí também. Obrigada pela dica e por participar do desafio.

Beijocas
Vivi

Carla Martins disse...

Erros de traducao sao pessimos, ne

afeeeee

Driza disse...

Oi Rê,

muito pertinentes suas observações, principalmente com relação a tradutora.
Vc reclamou lá na harlequin?
Independente disso, adorei suas considerações.

bjs

Mariani disse...

Adorei seus comentários....Té fevereiro.

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Regina
Pelo que escreveu a segunda histo'ria parece se boa ainda mais que se passa na China, deve ser interessante!!! Beijos

disse...

Olá Regina

Que bom que um dos livros valeu a pena.
Interessante que o segundo livro é uma história com personagens orientais.
Gostei!
Espero novas resenhas.
E sucesso nas suas próximas escolhas.

Abs,

Rê Lima

Cíntia Mara disse...

Olá, Regina!

Tô passando pra agradecer pela visita e pelo comentário no meu blog.

Depois volto para conhecer melhor seu cantinho.

Bjs

Aline Maziero disse...

Erro de tradução me dói muito tbm Regina. E falta de profundidade nos ppersonagens também, devo dizer. Mas que bom q a segunda história era beeem melhor, né? Bjo

Elisandra disse...

Nossa adorei sua resenha principalmente do livro que voce gostou. E a critica ao primeiro fico de primeira hein.Parabéns pelas resenhas e pelo blog...bjus elis!!!!!!!

Nanda disse...

Ei Regina,
Passando para conhecer os outros blogs participantes do desafio literário.
Muito legal sua resenha, bem elaborada e detalhada.
Eu não curto muito romances de banca, então fugi um pouco do estilo.
Morri de rir desta capa, nem um pouco sexy homem de saia ao meu ver rsrs
bjoo

Mi Müller disse...

Oi Regina... que resenhas ótimas. Parabéns pelo excelente trabalho. Eu também tenho birra com erros grosseiros de tradução como este que tu citastes! Que bom que pelo menos de um deles tu gostastes!
estrelihas coloridas...

Daniela disse...

Olá. Parabéns pela resenha. Achei interessante acrescentares os erros de tradução. Eu deixo passar na maioria das vezes, mas quando são grosseiros eu também não consigo deixar de lado.

Talita disse...

oi, obrigada pelo coemntário! :)
não conhecia muitos livros de banca até participar do desafio, foi bem legal descobiri váras novas história que parecem ser bem legais, fiquei com vontade de ler o livro.
parabéns pela resenha!

beijos