28 de março de 2010

O Despertar da Meia-Noite de Lara Adrian

bi0902

Com um punhal na mão e vingança em mente, Elise Chase percorre as ruas de Boston em busca de retaliação contra os vampiros corruptos que tomaram dela tudo o que ela mais amava. Usando um extraordinário dom psíquico, ela persegue a presa, consciente de que o poder que possui a está destruindo. Elise precisa aprender a dominar essa força e, para isso, só pode recorrer a um único homem: Tegan, o mais mortal dos guerreiros…

Tegan conhece a dor da perda, e conhece a fúria, mas quando mata seus inimigos é com frieza e autocontrole…

Até que Elise pede sua ajuda numa guerra pessoal. Uma aliança profana é forjada, um elo que os ligará por sangue e juramento e os lançará num redemoinho de perigo, de desejo, e das mais sombrias paixões do coração…

Adoro essa série e fiquei feliz por vê-la, finalmente, em português. A única coisa é que, pra variar, a NC resolveu começar pelo terceiro volume, não respeitando a ordem de publicação. Apesar de serem histórias que podem ser lidas de forma autônoma, há toda uma sequência e as tramas paralelas que passam de livro a livro, então é bem melhor se a ordem é respeitada. Por exemplo, esse livro apresenta o final de um ciclo começado no primeiro e já abre as portas para a trama que está sendo tratada nos livros publicados até o presente (já está no sétimo).

Elise é uma viúva que perde seu único filho para a luxúria do sangue provocada pela droga Crimson (tratado no segundo livro – Kiss of Crimson, ainda não publicado no Brasil). O cunhado dela, Sterling Chase tinha procurado a Ordem para ajudá-lo a localizar o sobrinho e foi assim que Elise e Tegan se viram pela primeira vez. Agora, sem nada a perder e buscando vingança, Elise persegue os Seguidores (escravos humanos do líder dos Corruptos) na esperança de conseguir sabotar e destruir os laboratórios da droga e, se tiver sorte, toda a organização.

Como toda Escolhida ela tem dons psíquicos, sendo o dela o poder de ouvir os pensamentos malignos dos humanos ou Seguidores ao seu redor. É um dom que a deixa muito debilitada. Uma noite, ao ser atacada por um grupo de corruptos é salva por Tegan. Ele a reconhece e se preocupa ao saber que ela está longe dos Darkhavens e da proteção da Raça. Tegan a compreende, pois sabe bem o que é perder alguém a quem se ama. Mas, exatamente por isso, ele quer se manter distante e frio. O destino, porém, os une quando Elise descobre algo muito importante e leva a Ordem para uma investigação em Berlim (onde conhecemos Andreas Reichen, herói do sexto livro).

O relacionamento entre Elise e Tegan é de resgate. Dois seres que perderam tudo reencontram um no outro o amor e segurança e a esperança para continuar vivendo. Elise traz cor e calor para a vida de Tegan. Ele traz os ensinamentos para ela controlar seu dom e devolve a ela a alegria de estar viva e se sentir útil e desejada.

O livro traz muita ação, suspense, romance e a trama é muito boa, como todos os livros dessa série. Minha maior preocupação é que a NC não colocou nada a respeito de ser o primeiro volume de uma série e estou com receio de que não publiquem os livros restantes, o que seria uma pena…

Uma última coisa… Não sei se já falei por aqui, mas sou formada em Tradução (apesar de não trabalhar nessa área, ainda). Sei o quanto é difícil e trabalhoso traduzir e revisar e respeitar o estilo do autor. Então quero deixar aqui um parágrafo que considero ter uma falha, não só de tradução, mas de revisão e de falta de se ler cuidadosamente o texto.

“Tegan se lembrava dessa ocasião. O “probleminha” dos Darkhaven de Berlim fora um ataque de Corruptos contra os residentes, o qual resultara em algumas mortes. Ele agira como um comando de um homem só, rastreando o celular do Corrupto pelas densas florestas de Grunewald, depois dizimando os predadores que aterrorizavam a região. Tudo isso tinha acontecido havia dois séculos.”

… (pág. 78)

Juro que não leio procurando por erros, mas tem certas coisas que saltam aos olhos e me deixam passada…

6 comentários:

ALINE disse...

Fiquei interessada no livro, apesar de também achar realmente ruim o fato de não respeitarem a ordem de lançamento dos volumes. O tema "sobrenatural" me interessa bastante e a trama me pareceu instigante.

Bjão!

Aline - escrevendoloucamente.blogspot.com

Nilza Paula disse...

Lembra que falamos sobre isso há alguns dias atrás?
Ninguém merece!
Eu acho MUITO caro o preço que anda sendo cobrado pelos livros de banca....E mesmo assim, eles estão cheios de erros, muitas vezes cortam pedaços super importantes das estórias....Uma lástima.
Eles deveriam passar os livros, antes de publicar para alguém ler, pois não é possível que alguém tenha lido um negócio desses, sem nexo, e tenha deixado passar.
Beijos (indiginados!!!)
Nilza

Sharon disse...

Ui, acabei de comentar em outro post, mas não resisti vendo isso aqui.

Primeiro, nem sonhava que esse livro tinha sido traduzido e acho surreal lançarem o terceiro livro sem os dois primeiros, no caso dessa série faria mais sentido lançar o primeiro livro ou o quarto (onde muda a trama principal). E eu sou muito chata com isso, não leio série fora de ordem de jeito nenhum, mesmo quando todos dizem que não tem problema rs.

Bom, sobre a série em si, estou começando o sétimo livro mas ainda não animei. Eu achei o primeiro livro fraco, o segundo um pouco melhor, o terceiro ficou bom, o quarto muito bom e eu adorei o quinto.

Achei que a qualidade do texto da autora melhorou de maneira exponencial de um livro para o outro. Mas aí veio o sexto livro, o do Andreas, e, na minha opinião, caiu tudo de novo. Achei o livro muito decepcionante, principalmente porque eu esperava alguma coisa mais bem feita para o Andreas.

Não sei se você concorda, mas quase todos os problemas que eu vi no primeiro voltaram e a mocinha da história foi a pior de todas até agora. Argh, perdi a empolgação com a série mesmo. O livro é importante para a história geral, mas o casal principal me matou. Vamos ver se animo e pelo menos leio o próximo para ver se foi só um deslize.

Um beijo

Regina disse...

Oi Sharon!

Eu adoro essa série! O primeiro livro também tinha achado meio pra baixo, mas na releitura adorei!

Achei que no livro do Andreas houve um erro na trama - o fato do marido dela perceber quando os dois transaram pelo laço de sangue - no primeiro livro, qdo houve a mesma situação, o guerreiro não teve o mesmo insight! (você notou?).

Gostei do livro do Kade e agora estou ansiosa pelo do Brock... Não abandone a série que é muito boa!

Quanto a NC, já estou acostumada com essas falhas (apesar de detestá-las e não entendê-las). Mas, pelo menos, as histórias estão saindo em português.

bjs

Sharon disse...

Verdade! Não tinha me ligado para esse detalhe, mas também eu acho que descartei certos problemas que vi que a autora foi 'arrumando' depois.

Esse laço, por exemplo, eu achei que ela foi mudando o significado dele aos poucos, porque não faz sentido as Breedmates esperando os guerreiros sem saber quem está ferido e quem não está sendo que elas deveriam sentir imediatamente quando alguma coisa acontece com eles.

Um problema que me incomodou muito foi que eu demorei uns 5 livros para conseguir imaginar como é um Darkhaven. Porque ela fala deles como se tivesse um por cidade, depois ela fala como se fosse uma casa super protegida com várias famílias, depois dá impressão que é uma comunidade.

Quando a Elise é apresentada, por exemplo, ela sai do darkhaven, pisa na rua e é bombardeada com as vozes. Como? A porta bloqueia? Eu não endendi aquilo.

Eu decidi por uma opção para imaginar e não porque ela explicou, mas porque achei que seria mais fácil escolher e parar de pensar nisso, mas mesmo assim em algumas situações o que eu imaginei não serve rs.

ps: sim, eu tenho consciência que meus comentários são gigantes, desculpa heheheh.

Anônimo disse...

Oi Regina,tudo bem ?
Eu já li quase toda essa série,e esse do Tegan e Elise com certeza é o meu preferido.Acredito que é o melhor da série.
Pricipalmente porque a estória é mais verossímel;vai acontecendo aos poucos o relacionamento entre os dois e não aquela coisa de ver,pegou,cama já e pronto...nah!,esse tipo de romance não me agrada,por isso o de Tegan me encantou .
Sobre a NC não aconselho ninguém a ler estes livrinhos de banca,pois eles não editam ou fazem pequenos cortes;eles mutilam todo o livro mesmo.
Leia esse do Tegan em inglês e vc verá que muito foi cortado.
Beijim , Anny Well